Prefeitura Municipal de Salvador

Patrimônio é... explora as belezas da arte cemiterial

Da esquerda para direita: Fabiana Comerlato, Giovannna Nunes, Osvaldina Cezar e Filipe Farias



A visita ao cemitério geralmente está ligada à dor e à saudade. Entretanto, é possível se encantar com as inúmeras belezas e patrimônios artísticos que compõe o local. Por isso, a Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), promove na próxima terça-feira (16), às 18h30, a edição “Arte Cemiterial” do Patrimônio é..., projeto que debate temas sobre os patrimônios culturais de Salvador. A transmissão acontece através do canal da FGM no Youtube.    

Para essa conversa, a produção recebe a museóloga, Osvaldina Cezar, responsável pelo Circuito de visitação do Campo Santo, cemitério administrado pela Santa Casa da Bahia; os arquitetos e pesquisadores Giovannna Nunes e Filipe Farias, que realizam um trabalho de investigação sobre o espaço cemiterial como patrimônio; além da professora Fabiana Comerlato, líder do grupo de pesquisa Recôncavo Arqueológico.  

Os túmulos de diversos cemitérios do mundo possuem diversas manifestações artísticas, são obras que são produzidas em diversos estilos, como o renascentista, barroco, gótico, moderno e etc. Em cada representação é possível identificar um conjunto de símbolos, que permitem contar uma história diferente e localizar em que época as obras foram produzidas. 

Para a gerente de Patrimônio Cultural da FGM, Gabriella Melo, os cemitérios são verdadeiros museus a céu aberto, onde as obras podem ser apreciadas. “Nesses lugares, é possível observar uma riqueza patrimonial gigantesca, que contam histórias, que possuem beleza. Por isso, a arte cemiterial precisa ser cada vez mais valorizada”, explica.

Patrimônio é...: As rodas de conversas do “Patrimônio É...” fazem parte do Projeto Salvador Memória Viva, executado pela Gerência de Patrimônio e vinculado ao Departamento de Patrimônio e Humanidades da FGM. São encontros mensais para tratar de temas concernentes aos patrimônios culturais da Cidade do Salvador. Esses encontros, que acontecem desde 2017, eram no Espaço Cultural da Barroquinha e com transmissão ao vivo. Mas, devido ao nosso contexto atual de pandemia e os protocolos de segurança, o formato foi adaptado para o ambiente virtual. Seu objetivo, para além da promoção da educação patrimonial, é a instrumentalização das políticas públicas do município que valorizam a memória histórica da cidade.